Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Bem vindo ao Nortão News, Juara 26 de Abril de 2017
Quem Somos   I   Contato
  INÍCIO  
  NOTÍCIAS  
  EVENTOS  
  VÍDEOS  
  ARTIGOS  
  FAVORITOS  
 ARTIGO
4 de Dezembro, 2012 - 07:24
  GABRIEL NOVIS NEVES

   Viver com dignidade
     

Os médicos perderam o respeito que gozavam na sociedade

Todos nós temos o direito de viver com qualidade e dignidade. Viver sem a presença desse binômio é sobreviver.

O nosso mundo está tão cruel, que a lei que impera hoje é a de cada um por si e Deus por todos.

Com imensa tristeza acompanho o que acontece hoje na área médica. Praticamente inexiste o grande instrumento de trabalho do médico, que é o tempo dedicado aos seus clientes.

Os de melhor poder aquisitivo, possuem um plano de saúde, que não lhes dá direito ao tempo ideal para uma consulta. Nesse sistema, o médico sobrevive com a quantidade de atendimentos, e não, com a qualidade dos seus serviços.

A maioria da população brasileira pertence ao plano do governo para os pobres, que é o SUS - sem comentários.

Com 180 escolas de medicina funcionando e produzindo médicos, esse profissional fica retido nas grandes cidades, que lhes oferecem o mínimo de condições para exercer a sua profissão.

Há falta de médicos no interior, onde o governo demonstra toda a sua incompetência para criar condições para a fixação desses profissionais.

Resultado da falta de políticas públicas na saúde: a hiperconcentração de médicos nas melhores cidades. E, com isso, entra em cena a lei da oferta e da procura. Com muita oferta, o salário dos médicos chega a ser aviltante.

Este, para sobreviver, é obrigado a manter vários empregos. Com honorários tão indignos, o tempo do médico para atender pacientes de planos de saúde privados e do SUS, cada vez se reduz mais.

Com relação aos pacientes do SUS, mesmo com mandado judicial, eles não conseguem internação. A espera para uma consulta é de meses, e um exame laboratorial é uma aventura.

Isso ocorre hoje aqui em Cuiabá. Não estou para ditar regras de ética ou de moral, mas posso dizer que o governo foi o único responsável pela retirada do médico da casa do doente e pela desumanização do ato médico. Ah! Isso ele fez com perfeição.

A presidente cobra tratamento mais humano e digno através do SUS, e procura um hospital particular para se tratar. Lançou dois programas para os pobres, que são difíceis de sair do papel: Melhor em Casa, que já existe - pois os pacientes do SUS não têm para onde ir -, e o reforço do atendimento nos Prontos Socorros.

Programas de resultados em longo prazo, enquanto que o problema dos Prontos Socorros é urgentíssimo, como verificou o JN do Ar.

A população que procura serviços de saúde só tem queixas quando é atendida. Os médicos perderam o respeito que gozavam na sociedade.

Enfim, todos perderam. Essa não é a medicina humanizada, matéria obrigatória em todos os Congressos Médicos.

Viver sim, mas com dignidade no exercício da nossa profissão e qualidade no atendimento aos pacientes.

GABRIEL NOVIS NEVES é médico em Cuiabá, foi reitor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Fonte: Midia News

* O NortãoNews não se responsabiliza por comentários postados abaixo!
 0 Comentários  |  Comente esta matéria!
 Mais Artigos
18/05/2016
26/02/2016
01/12/2015
20/11/2015
30/06/2015
02/02/2015
21/04/2014
09/02/2014
 menos  1   2   3   4   5   6   7   mais 
 Enquete

 Artigos
  INÍCIO  
 
  NOTÍCIAS  
 
  EVENTOS  
 
  VÍDEOS  
 
  ARTIGOS  
© 2017 - Todos direitos reservados